Aplicativos de negócio – por que eles não funcionam?

Sistemas apresentam problemas, mas, não são a principal causa deles que temos nas organizações, precisamos fazer o diagnóstico correto para tomarmos as ações corretivas necessárias.

Na maioria das organizações que atuei, tanto como gestor de área como consultor de negócio, sempre ouvia a reclamação que os sistemas que usavam não eram bons, que não atendiam o negócio e que não funcionavam e então pensamos será que os sistemas são tão ruins assim ou o problema está em outro lugar?

Há uma cultura de reclamação e sempre apontar os defeitos em outros lugares, não procedemos com a investigação, não fazemos o diagnóstico correto da real situação e simplesmente decidimos colocar a culpa naquilo que não pode responder por si só.

As questões sempre são respondidas na perspectiva do que penso e não na análise do que realmente está acontecendo e da verdadeira causa. Precisamos entender um detalhe muito importante, se adquirimos uma solução pronta ou se desenvolvemos a nossa, em toda a situação as aplicações não vão responder às necessidades na íntegra, pois a velocidade que desejamos ou que queremos fazer as ações de marketing e vendas nem sempre traduzem a velocidade de criação de funcionalidade.

Mas qual a real causa dos problemas que enfrentamos? Onde estão? Têm solução? Em toda a minha experiência profissional ficou claro um ponto até agora, não importa o negócio, não importa o tipo de indústria, se comercialização de produto ou de serviço. As grandes causas dos sistemas não atender ao negócio estão em capacitação e processo, que normalmente respondem por 70% a 75% dos problemas. De 15% a 20% estão relacionados à configuração incorreta dos aplicativos para atender as necessidades e o restante fica entre funcionalidade que não existe conforme o desejo, mas que poderia ser atendido de outra forma ou erro do aplicativo (problema de desenvolvimento).

Não podemos implantar sistemas, quando contratamos uma solução pronta sem que haja uma ampla discussão sobre as funcionalidades desejadas, sem entendimento de como funciona e o que precisa ser feito para atender, pois sem o comprometimento dos donos do sistema, sempre será buscado um culpado. Depois de escolhido é fundamental que para a implantação seja realizada uma ampla análise e fazendo os ajustes dos processos necessários ao negócio, tanto nos aspectos de procedimento como de instrução de uso. Depois desta etapa é necessário conduzir um treinamento adequado quanto ao uso do aplicativo, não na perspectiva de sua funcionalidade, mas, da funcionalidade alinhada com os processos (procedimento e instrução de uso), além é claro da compreensão das configurações que serão necessárias realizar.

Aplicativos apresentam problemas? Sempre e é preciso ter um controle identificado deles, situação e um acompanhamento junto ao fornecedor da solução a ser dada, mas eles não são a prova de erro, sempre irão e poderão apresentar problemas, mas precisamos separar os problemas que criamos que leva a não funcionarem da forma correta, dos que criamos dentro da nossa organização.

Precisamos aprender a trabalhar de forma harmônica com os elementos que compõem a organização que são: pessoas, processos e tecnologia. Se não houver harmonia, nem capacitação adequada nos aplicativos e processos, nunca teremos o resultado que precisamos para atender as estratégias e objetivos organizacionais.

foto por: Markus Spiske on Unsplash